A Caixa Econômica Federal vai exigir certificação de qualidade das empresas da construção civil, nos moldes das normas internacionais do ISO 9000, a partir de junho do ano que vem. A Caixa participa do desenvolvimento do Programa Brasileiro da Qualidade e da Produtividade do Habitat - PBQP-H, em conjunto com diversos órgãos do governo e várias entidades representantes do setor da construção civil no Brasil. O projeto é inédito no País e também disponibilizará recursos técnicos e informações a parceiros externos, inclusive no âmbito do Mercosul.
Pela primeira vez são firmados acordos entre o governo federal e o setor da construção civil para estabelecimento de critérios e prazos, negociados com as construtoras. ‘‘Com esses acordos, atende-se ao interesse público de um modo geral, e protege-se o mutuário em particular, que irá adquirir imóveis de melhor qualidade a preços mais acessíveis’’, diz o diretor de Desenvolvimento Urbano da Caixa, Aser Cortines.
O primeiro acordo firmado entre a Caixa, Secretaria Especial de Desenvolvimento Urbano da Presidência da República-SEDU/PR, Câmara Brasileira da Construção Civil-CBIC e Sindicatos da Construção está sendo implementado em São Paulo. A partir de meados de 2001, as construtoras que quiserem obter financiamento da Caixa para obras em São Paulo, já terão que apresentar o padrão de qualidade mínimo, certificado por uma empresa ou consultoria credenciada no Inmetro-Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade. Inicialmente, será exigido um padrão de qualidade básico, que atende aos quesitos da primeira etapa de exigências (são quatro fases, com implantação gradativa).
A maioria dos estados já aderiu ao Programa, e a Caixa negocia o estabelecimento de prazos para a exigência da certificação da qualidade em cada estado do País.
O PBQP-H é uma parceria entre o governo federal e o setor da construção civil, na busca da modernização e da redução de custos na construção habitacional. O objetivo é certificar as empresas que pretendem ter obras financiadas pela Caixa, com o propósito de diminuir o desperdício na utilização do material de construção e o consequente barateamento de seus custos.