São Paulo, 09 (AE) - O vigilante noturno autônomo Divacir Alves da Silva, de 23 anos, foi preso em flagrante na manhã de hoje, às 6h30, quando tentava se livrar dos corpos do menor César Martins Siqueira e de um outro identificado apenas como Romero, os dois de 17 anos, baleados na cabeça e no abdome. Ele supunha que os dois estivessem mortos. De acordo com informações da polícia, os menores estavam pichando os muros das casas de um bairro do Grande ABC (SP), onde Silva trabalhava. Houve discussão e ele baleou os garotos.
Acreditando que os menores estivessem mortos, Silva, acompanhado de um comparsa, ainda não-identificado, levou os feridos para a Estrada do Alvarenga, no bairro de Pedreira, na zona sul, dentro de um Fusca verde, de propriedade dele. Os dois foram surpreendidos por policiais militares quando tentavam retirar os corpos e os abandonar na altura do número 5.000. O vigilante foi levado para o 98.º Distrito Policial (DP) - Jardim Míriam - e autuado em flagrante por homicídio doloso, pelo delegado Carlos Laet de Souza. O comparsa dele conseguiu fugir. Os menores foram socorridos. Siqueira, que não morreu, levou quatro tiros na cabeça e permanece internado em estado grave no Pronto-Socorro do Jabaquara, zona sul de São Paulo. Romero foi levado para o PS Sabóia, onde morreu.