São Paulo, 25 (AE) - A área de transportes foi uma das mais citadas pelo vice-prefeito Régis de Oliveira (PMN) na entrevista coletiva concedida hoje no Hotel Crowne Plaza. Ele prometeu abrir negociação com os perueiros clandestinos. "Isso nunca houve", disse Régis. O escritório de advocacia do vice já defendeu os donos de peruas não-legalizadas.
"Vamos repensar a estrutura do transporte", anunciou. O setor foi o único no qual o vice entrou em detalhes, a ponto de citar dois bairros, o Jardim da Conquista e a Favela de Paraisópolis, como lugares onde os ônibus não entram, até por falta de espaço.
Quanto ao Sistema Integrado Municipal de Saúde (Sims), nova denominação do Plano de Atendimento à Saúde (PAS), seu futuro é uma incógnita no caso de o vice assumir. "Se me perguntarem qual é o caminho do Sims agora, não vou saber responder", disse. "Vou falar com o ministro José Serra, o secretário estadual José da Silva Guedes e várias lideranças para discutir uma ação emergencial." Dessa forma, o sistema de atendimento terceirizado, inaugurado na gestão Maluf, tem grandes chances de não ser modificado até janeiro, quando assume o próximo prefeito.
Outra bandeira eleitoral do malufismo, o fura-fila, também mereceu comentários vagos. "Preciso saber se é conveniente ou não sustar ou acabar a qualquer preço (com o fura-fila)", disse. "Se for possível direcionar as obras para pistas de rolamento, quem sabe?"
Apesar de pertencer a um partido nanico e de ter definido a equipe antes dos planos para a cidade, Régis não vê riscos de seu eventual governo ser personalista. "As decisões finais serão minhas, mas baseadas no que os técnicos disserem."
Sobre o secretariado, Régis procurou minimizar a frase dita ontem (24), de que seu governo seria o dos juízes e procuradores. "Vamos chamar pessoas que ajudem a resgatar a moralidade", disse.