/USA/BOB JONES4/Mar, 13:49 Universidade envolvida em tormenta política revoga proibição de regras raciais Columbia, Carolina do Sul, EUA, 4 (AE-AP) - A publicidade negativa que se seguiu à visita do candidato presidencial republicano George W. Bush à Universidade Bob Jones levou a escola fundamentalista cristã a revogar sua proibição de namoros inter-raciais. Durante a visita de Bush, no mês passado, o governador do Texas disse à platéia que compartilhava das visões conservadoras da instituição. Mais tarde o candidato presidencial desculpou-se por não ter criticado em seu discurso as concepções anti-católicas da universidade, assim como a política racial. "A partir de hoje permanece revogada a regra", disse ontem à noite o presidente da universidade, Bob Jones III, no programa de televisão "Larry King". Bush aplaudiu a decisão. "Estou satisfeito com a mudança da política", disse o candidato enquanto fazia campanha ontem em Nova York. "Logo depois do meu discurso, eu me manifestei contra a política. A Universidade tomou a decisão correta", afirmou. A proibição de namoros inter-raciais data da década de 1950. A escola só admitiu seu primeiro estudante negro nos anos 70 e perdeu sua isenção tributária em 1983, depois de 13 anos de batalha com a Receita Federal, que qualificou como discriminatória a política da escola. A escola defendia a proibição de namoros inter-raciais baseada em uma interpretação blíblica segundo a qual Deus teve suas razões para criar as diferentes raças. Jones disse ontem que a escola ainda acredita no princípio que motivou a regulamentação, mas acrescentou que as críticas da opinião pública afetavam os estudantes e prejudicava a reputação da escola. "Se tudo o que as pessoas conhecem da nossa escola é esta regulamentação, da qual não falamos nunca, isto afeta nossos estudantes", afirmou. Segundo ele, a escola goza de boa reputação como centro cristão de estudos, mas confessou que agora a Bob Jones "está sendo definida como uma escola racista". Jones disse ter se reunido com vários administradores da universidade para falar sobre a mudança da regra antes de viajar para Washington, onde anunciou a decisão. Quando o papa Joâo Paulo II visitou a localidade de Columbia, em 1987, o pai do atual reitor, Bob Jones II, disse que antes de reunir-se com Sua Santidade, "preferiria falar com o diabo".