UEL tem vestibular descentralizado pela primeira vez na história

Provas da primeira fase serão aplicadas neste domingo (20) em Londrina, Cascavel e Curitiba

Isabela Fleischmann - Grupo Folha
Isabela Fleischmann - Grupo Folha

UEL tem vestibular descentralizado pela primeira vez na história
Saulo Ohara/Arquivo FOLHA
 

A prova da primeira fase do vestibular da UEL (Universidade Estadual de Londrina) será neste domingo (20). É o primeiro exame descentralizado da universidade: mais de 22 mil pessoas se inscreveram para as provas, que serão aplicadas em Londrina, Curitiba e Cascavel.


UEL tem vestibular descentralizado pela primeira vez na história
Folha Arte
 


A coordenadora da Cops (Coordenadoria de Processos Seletivos), Sandra Regina Garcia, relembra que candidatos que acompanham o noticiário se saem melhor no exame. Isso porque a prova deste domingo é de conhecimentos gerais. Serão 60 questões objetivas sobre biologia, física, química, sociologia, história, filosofia, geografia, matemática e artes. Mas não é apenas o conteúdo que o vestibulando deve dominar, já que as questões são interdisciplinares e requerem interpretação de texto, de acordo com Garcia. “Eles devem ficar atentos ao noticiário, com certeza”.  



 

Quem acompanha jornais normalmente se sai melhor na prova porque o critério das questões é leitura e interpretação. “Você não pega uma questão somente de matemática, ela envolve conhecimentos múltiplos”, contou.  

 

“A gente procura não utilizar conteúdos regionais em relação à cidade porque nem todo candidato tem condições de responder essas questões. Hoje temos que ficar atentos a todas as linguagens, jornalísticas e mídias sociais, para poder chegar o mais próximo possível dos jovens, sempre mantendo a lógica da escrita convencional”, afirmou.   

 

O EXAME  

 

Do total de 22.594 inscritos, 66% são paranaenses e 31% são de Londrina. O segundo Estado com mais candidatos é São Paulo, com 6.531. Apenas 4% são de Estados distintos e 6% dos candidatos são treineiros - prestam o exame como experiência porque não terão concluído o ensino médio até a matrícula.  

 

A UEL oferece 2.559 vagas em 53 cursos de graduação. Outras 586 vagas são disponibilizadas pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada). Neste ano há dois novos cursos de graduação: Nutrição e Biotecnologia. Cada um deles registrou a concorrência de 10,55 candidatos por vaga.   

 

A prova começará pontualmente às 14 horas, com duração máxima de quatro horas. Os portões serão abertos às 13h20. Em Londrina, o exame será aplicado em 18 locais, entre eles o campus da UEL – com o maior fluxo de candidatos, cerca de 7 mil – universidades e escolas.  

 

Na UEL as provas serão aplicadas em 237 salas espalhadas pelo CCA (Centro de Ciências Agrárias), CCB (Centro de Ciências Biológicas), Ceca (Centro de Educação, Comunicação e Artes), Cesa (Centro de Estudos Sociais Aplicados), CCH (Centro de Ciências Humanas), Cefe (Centro de Educação Física e Esporte), CTU (Centro de Tecnologia e Urbanismo) e CCE (Centro de Ciências Exatas).  

 

A PEL 1 e 2 (Penitenciária Estadual de Londrina) e o Creslon (Centro de Reintegração Social de Londrina) também receberão os exames. O vestibular deste final de semana mobilizará quase 2,5 mil pessoas, entre fiscais e monitores e agentes externos.  

 

VESTIBULAR EM TRÊS CIDADES  

 

Em Curitiba, serão dois locais de prova para 2.417 candidatos. Já em Cascavel, 572 candidatos farão a prova em um local. São, ao todo, 694 salas de provas. Segundo Garcia, o transporte das provas para essas cidades será feito pela própria universidade. “A coordenação do vestibular irá junto para Curitiba e Cascavel e as provas vão embaladas e lacradas. Só são abertas na hora da prova, não há risco de vazar”, garante.  

 

Após a prova, o material será lacrado novamente e retornará para Londrina, de acordo com Garcia. Fazer o vestibular em cidades diferentes gera um gasto a mais, por conta do deslocamento. Mas, segundo a coordenadora, as inscrições das duas cidades “pagam com muita tranquilidade todos os custos”.


Preocupação do comércio da cidade, o número de vestibulandos em Londrina não se alterou, como conta Garcia. “Tivemos a informação que todos os hotéis já estão lotados.” 

  

O QUE LEVAR 

 

Os vestibulandos podem levar lápis grafite preto ou lapiseira, borracha e caneta esferográfica com corpo transparente de tinta azul-escura ou preta. “Alimentação também pode levar. O candidato deve abrir o alimento na frente do fiscal e a água deve ser levada em uma garrafa transparente e sem rótulo”, ressalta a coordenadora.  

 

Os candidatos devem chegar ao local de prova com 1h30 de antecedência, munidos de documento oficial com foto e cartão de inscrição (disponível no site da Cops) impresso, com uma foto 3x4 colada no local indicado. “Londrina está pronta, campus e locais de prova. Cascavel e Curitiba também. No domingo estaremos de plantão a partir das 8h30 na Cops para quem estiver sem documento e questões de última hora”.  

 

Em caso de necessidade, candidatos de Curitiba e Cascavel devem procurar a coordenação dos locais de provas, a partir das 13 horas. O plantão de atendimento cuida de casos de extravios de documentos. 

 

Garcia ressaltou que a aplicação das provas terá o apoio da PM (Polícia Militar), CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização), TCGL (Transportes Coletivos Grande Londrina) e demais servidores da UEL que auxiliarão no trânsito e segurança.  

 



Para quem fará a prova na UEL, o trânsito será pela avenida Castelo Branco. Os candidatos poderão entrar no campus pelo CCH, AEHU (Ambulatório de Especialidades do Hospital Universitário) e pelo portão no Jardim Columbia, próximo à Aintec (Agência de Inovação). 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo