UEL e UEM abrem primeiro doutorado em Arquitetura no Paraná


Viviani Costa  Reportagem Local
Viviani Costa Reportagem Local

A UEL (Universidade Estadual de Londrina) recebeu autorização para ofertar cinco novos programas de doutorado a partir de 2019. A formação de turmas para os cursos de Arquitetura e Urbanismo UEL/UEM, Ciência da Informação, Filosofia, Fisiopatologia Clínica e Laboratorial e Sociologia foi aprovada pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Com isso, UEL e UEM (Universidade Estadual de Maringá) passam a ofertar o primeiro doutorado em Arquitetura e Urbanismo do Paraná e o terceiro do Sul do País.

Segundo a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação, a oferta de novos programas não acarretará mais custos para a UEL
Segundo a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação, a oferta de novos programas não acarretará mais custos para a UEL | Saulo Ohara/20-8-2018





O pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da UEL, Amauri Alfieri, destaca que a parceria com outras instituições não é novidade em Londrina. "O mestrado em Arquitetura e Urbanismo associado à UEM foi criado em 2012. Como ele foi avaliado pela Capes com conceito 4, então a gente solicitou o doutorado. Essas autorizações, de uma forma geral, demonstram que os nossos mestrados estavam consolidados e que nós já tínhamos uma boa produção científica, uma boa produção técnica e uma boa formação dos estudantes. Temos outras parcerias também em cursos de diversas áreas", ressalta.

Segundo o pró-reitor, a oferta dos novos programas não acarretará mais custos para a universidade. Os professores já atuam nas graduações, especializações e mestrados da UEL. Com a resposta da Capes, a universidade passa a ofertar 30 cursos de doutorado. A pró-reitoria aguarda ainda a avaliação de outros dois pedidos. "As duas solicitações são para a criação do doutorado em Direito Negocial, na área do Direito, e em Análise do Comportamento, na área de Psicologia. Provavelmente, esses pedidos entrem no julgamento do comitê técnico consultivo da Capes no final de novembro", afirma.

"Isso tudo aumenta a quantidade de profissionais mais capacitados na região. É uma forma da universidade contribuir com a sociedade. A geração de conhecimento é importante não só para a nossa região, mas para o País como um todo. Até o ensino muda. É diferente quando você tem um professor que faz pesquisa e fala sobre algo que ele já fez e já trabalhou. A forma de repassar o conteúdo para o aluno muda e o nível das graduações aumenta", completa Alfieri.

No doutorado em Arquitetura e Urbanismo, a seleção de alunos será feita de forma conjunta entre UEL e UEM. A professora da UEM e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Gislaine Beloto, explica que o edital para as inscrições deve ser lançado ainda em novembro. "A seleção de alunos vai ocorrer nas duas universidades, com os mesmos critérios, simultaneamente. O nosso curso de mestrado, também em parceria, é muito recente. Essa autorização deixa evidente a excelência do corpo docente das duas universidades. A comunidade toda ganha. Professores de outras universidades que precisam de qualificação também vão nos procurar para aprimorar os conhecimentos. Isso faz com que aumente a qualidade de ensino nas graduações tanto de instituições públicas como privadas", comenta Beloto. As aulas terão início em março.

Para o conselheiro do Ceal (Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina), André Sell, a criação do doutorado fortalece ainda mais a região como polo no setor. "A gente acredita em uma retomada da economia e a aposta que a economia pode voltar a crescer no ramo da construção civil passa pela qualificação em arquitetura. Um curso como esse vai atrair para Londrina mais bons profissionais e terá uma reação em cadeia. Isso mexe com a cidade, com o comércio, a hotelaria, o restaurante e divulga Londrina para o País", avalia o conselheiro.



Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo