UDR afirma que funcionários são mantidos reféns Da Redação Até o final da tarde de ontem, as informações sobre a existência de reféns na Fazenda Figueira eram desencontradas. O segundo-tenente Adalto Giraldes, que comandava os policiais que estiveram no local, disse ter informações de que os sem-terra estavam armados e mantinham reféns na propriedade. Os sem-terra, no entanto, negaram a informação. À tarde, a União Democrática Ruralista de Paranavaí divulgou nota assinada por Tarcísio Barbosa de Souza, coordenador geral da entidade no Paraná, afirmando que seis funcionários da fazenda e ainda o gerente estavam sendo mantidos em cárcere privado na área. Em entrevista à Folha, Tarcísio informou que o gerente se chama João Jaldi e que ele não dispõe da lista com os demais nomes dos funcionários. Segundo ele, as famílias estão buscando informações sobre os reféns na sede da entidade.