São Paulo, 04 (AE) - Empresa e sindicato de trabalhadores se uniram em São Paulo contra decisão da Cetesb de lacrar fornos que provocam a emissão de fumaça em excesso. A Companhia Brasileira do Aço (C.B.A.) está impedida de operar a produção de aço laminado desde a semana passada e hoje o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo emitiu uma nota apoiando a empresa sob o argumento de que seus 300 funcionários poderão perder o emprego.
"A demissão de 300 trabalhadores vai agredir muito mais o meio ambiente", justificou o diretor do sindicato, Miguel Eduardo Torres. O presidente do sindicato e da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, chegou a tentar contato com o governador Mário Covas para pedir intervenção e agora os dirigentes ameaçam acampar em frente a Cetesb na quinta-feira.
O diretor industrial da C.B.A, Sérgio Camargo, admite que a empresa precisa instalar uma coifa para impedir a emissão de fumaça. E diz que o equipamento já foi comprado. Ele encaminhou à Cetesb solicitação de prazo até 28 de fevereiro para instalar a coifa. "Se não pudermos ligar os fornos até quinta-feira vamos quebrar e não poderemos mais pagar os salários", disse.