Texaco estima em mil litros volume do óleo que vazou7/Mar, 17:58 Por Carlos Mendes (especial para a AE) Belém, 07 (AE) - A Assessoria de Imprensa da Texaco estima em mil litros o volume de óleo que vazou da balsa Miss Rondônia e poluiu o Rio Pará. A quantidade exata, porém, só será conhecida na quinta-feira (09), quando acabar o trabalho de limpeza no fundo do rio. "Eu não arriscaria um palpite", resumiu o comandante do Corpo de Bombeiros, capitão Marcos Lopes. Ele disse que, antes de a balsa flutuar, os equipamentos da Texaco postos sobre a balsa Xingu bombearam cerca de 20 mil litros de água do rio misturada com óleo. A quantidade de óleo será medida depois de ele ser separado da água. De acordo com a Associação Brasileira de águas Subterrâneas (Abas), um litro de óleo é suficiente para contaminar mil litros de água. No início da tarde, mergulhadores contratados pela Texaco no Maranhão, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro uniram-se aos do Corpo de Bombeiros do Pará para retirar todo o restante do óleo que ainda está no leito do rio, formando uma camada de 15 centímetros. O combustível está confinado numa barreira de proteção de 40 centímetros de altura construída com 3.400 sacos de cimento. Essa barreira evita que o óleo escorra pelo rio e seja levado pela correnteza. O capitão Lopes informou que a vistoria feita na balsa naufragada não comprovou fissura no casco, como anunciaram alguns diretores da Texaco. A embarcação agora será periciada pela Capitania dos Portos.