Porto Alegre, 20 (AE) - Os telefônicos da região metropolitana fazem amanhã (21) uma paralisação de duas horas no começo da manhã. O protesto foi decidido no sábado (19), durante assembléia, e servirá para retomar a mobilização da categoria. Os funcionários estão sem aumento há 26 meses e tiveram sua negociação salarial prejudicada pela indefinição administrativa na Companhia Riograndense de Telecomunicações (CRT). O conselho de administração da empresa deveria ter sido escolhido na última quinta-feira, mas um conflito de interesses inviabilizou a assembléia de acionistas. Eles reivindicam 12,23% de reajuste.
"Vamos fazer operações de surpresa em todos os locais de trabalho em protesto por causa do retrocesso nas negociações", explicou o presidente do Sindicato dos Telefônicos (Sinttel), Jurandir Leite. Além da paralisação de duas horas, os funcionários adotarão outras medidas que só serão conhecidas no momento do protesto. A intenção dos telefônicos, segundo o dirigente, é aprovar sua greve junto a de outras categorias, como o magistério gaúcho e os juízes federais, que paralisam suas atividades no dia 28. Em Porto Alegre, haverá outra assembléia terça-feira (22) para decidir se eles vão se unir aos outros movimentos.