Santos, SP, 08 (AE) - Os técnicos da Regional dos Morros de Santos começaram hoje cedo o trabalho de contenção das pedras que ameaçam rolar do Morro do Marapé, sob as residências situadas no sopé, a exemplo do que ocorreu na madrugada de sexta-feira e que terminou com a morte de um adolescente de 13 anos de idade.
A volta do sol ajudou o trabalho dos 20 homens, da Regional, que montaram um canteiro de obras e envolveram os blocos com uma tela feita de fios de aço, como forma de fixá-las
impedindo dessa maneira que se movam e venham a rolar. "Agora vamos começar o trabalho de redução das pedras e em seguida removê-las", revelou hoje pela manhã Luiz Marcos Marques Albino
coordenador do Plano Preventivo de Defesa Civil do município.
Segundo disse, a tarefa deverá estar concluída no máximo até segunda-feira, se o tempo continuar firme. As cinco casas que foram interditadas só serão liberadas aos moradores após a execução dessas obras, que seguem orientação dos técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e Instituto Geológico de São Paulo (IG), que no dia anterior vistoriaram os morros da cidade.