Buenos Aires, 6 (AE) - Os frangos brasileiros ficaram livres das cotas que restringem sua entrada na Argentina: a Justiça Federal da cidade de Paraná, na província de Entre Ríos, revogou a liminar do juiz federal Juan José Papetti, da cidade de Concepción, que desde dezembro estava limitando a entrada de frangos provenientes do Brasil a somente 3.742 toneladas mensais. O juiz argentino alegou na época que estava ocorrendo uma "invasão" dos galináceos do vizinho do Mercosul.
Com a revogação das cotas, os frangos brasileiros sem vísceras poderiam entrar imediatamente, em qualquer quantidade, logo que a alfândega argentina seja notificada.
O presidente da CEPA, a associação argentina de indústrias avícolas, Roberto Domenech, disse que ainda não havia sido notificado da decisão, mas que assim que fosse informado oficialmente, entraria com um recurso na Justiça.
No entanto, até o fim do mês o país estará em férias judiciais
e portanto somente poderão tomar medidas contra a entrada de frangos provenientes do Brasil nos primeiros dias de fevereiro.
Domenech disse que a indústria avícola está sendo "muito" prejudicada pela entrada de frangos brasileiros. Segundo ele, as aves do Brasil dominariam entre 7% e 12% do mercado argentino. O presidente da CEPA sustentou que "esta situação precisa ser revertida".
O anúncio da revogação do sistema de cotas ocorreu poucos dias depois de um parecer da Comissão Nacional de Comércio Exterior (CNCE), que determinou que a indústria argentina de frangos sem vísceras sofreu "danos significativos" por causa da importação dessas aves provenientes do Brasil.
Baseado neste parecer, até o fim do mês a Secretaria de Indústria e Comércio da Argentina terá decidir se existe dumping nos frangos brasileiros, e que medidas tomaria contra sua entrada no país.