Alemanha, 10 (AE-AP) - O atual presidente do partido conservador União Democrática Cristã e sucessor de Helmut Kohl admitiu hoje (10) em uma entrevista que ele e outros líderes do partido têm responsabilidade pelo escândalo financeiro que gira em torno do ex-presidente.
Falando à televisão alemã ARD, Wolfgang Schaeuble disse que em alumas ocasiões durante os encontros do partido com Kohl foi falado em "nossas fontes financeiras".
Schaeuble disse "todos temos uma parte na responsabilidade por não questionar". Ele também admitiu que o partido recebeu um "patrocínio", em 1994, de cerca de US$ 52.000 em dinheiro do empresário, com cidadanias alemã e canadense, Karlheinz Schreiber.