Sorocaba, SP, 01 (AE) - A prefeitura de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, começou a multar os munícipes que mantém locais propícios para a criação do mosquito Aedes aegypti
transmissor da dengue e da febre amarela. Até hoje haviam sido aplicadas, com base em uma lei municipal de 1998, duas multas de R$ 212,82 e R$ 266,02, respectivamente.
Foram autuadas uma residência da Vila Barão, que mantinha recipientes com água a céu aberto, e uma borracharia do Jardim Capitão, que expunha pneus com o líquido acumulado. Antes de serem multados, os proprietários foram notificados para eliminar os focos em 24 horas, mas não o fizeram.
Sorocaba registrou três casos de dengue este ano e, em um deles, o doente adquiriu a doença no próprio município. Só este ano foram detectados 38 focos do mosquito Aedes aegypti no município.