Sobe para 25 número de suspeitas do novo coronavírus no Estado

Novos casos são todos de moradores de Curitiba que retornaram da Europa e Estados Unidos; em todo o Brasil são 13 casos confirmados da doença

Vitor Struck - Grupo Folha
Vitor Struck - Grupo Folha

O número de casos suspeitos do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Paraná subiu para 25 nesta sexta-feira (6), cinco a mais do que no boletim anterior divulgado pela Sesa (Secretaria da Saúde do Estado). 


.
. | Claudio Neves/Portos do Paraná
 


Desde o início do monitoramento 15 casos suspeitos já foram descartados. Já o balanço do Ministério da Saúde aponta para 13 casos confirmados em todo o País. 




Por enquanto, Londrina continua com quatro suspeitas aguardando a análise dos exames pelo Lacen (Laboratório Central do Estado). São pacientes que retornaram da Alemanha e Estados Unidos.


Já os cinco casos incluídos na lista nesta sexta-feira são todos de Curitiba, e correspondem a pessoas que visitaram países como Espanha, Inglaterra, Estados Unidos e Portugal.  


Além destes casos, o Paraná registra pacientes com sintomas da gripe e que voltaram de países com surto do vírus em Cascavel (3), Maringá (2), Foz do Iguaçu (1), Santo Antônio da Platina (1) e Quatro Barras (1). Todos estão sendo acompanhados em domicílio e a orientação da Sesa é para que os familiares dos pacientes também aguardem o resultado dos exames. A Secretaria também destacou que em 81% dos pacientes infectados pela doença os sintomas registrados são leves. 


Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, o secretário municipal de Saúde de Londrina, Felippe Machado, avaliou que a primeira moradora de Londrina identificada com os sintomas da gripe pode ter contraído, na verdade, o sarampo. “Ela teve alterações na febre e manchas pelo corpo”, disse.   


KITS PARA TESTES

Nesta semana, o Ministério da Saúde enviou ao Lacen dez kits para o diagnóstico do coronavírus. Segundo a Sesa, cada kit tem pode realizar até 24 testes. A FioCruz (Fundação Oswaldo Cruz) e o IBMP (Instituto de Biologia Molecular do Paraná) também receberam os equipamentos, o que, segundo a diretora técnica do Lacen, Irina Riediger, deve agilizar as análises uma vez que não será necessário enviar os exames para uma contraprova. 

  

“Uma vez que recebemos as amostras, liberamos os resultados da pesquisa de vírus respiratórios em até 48 horas. Atualmente, as amostras de casos suspeitos precisam ser encaminhadas para a FioCruz, no Rio de Janeiro, o que entre trâmites burocráticos e deslocamento, envolve cerca de 24 horas, e só depois que as amostras são recebidas no Laboratório de Referência, são mais 72 horas de prazo para obter o resultado final”, afirmo ela. 


A expectativa, segundo a Sesa, é que a equipe do Laboratório Central do Estado receba um treinamento já na próxima semana. Segundo a diretora, questões relacionadas à interpretação dos resultados e o uso dos reagentes vão ser discutidas com os especialistas da FioCruz e a estimativa é que até o final de março os exames sejam realizados pelo Lacen. 




Atualmente, o laboratório investiga a presença de 20 tipos diferentes de vírus causadores de infecções respiratórias.  

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo