Agência Estado
De São José dos Campos
Os responsáveis pelo site particular contra pedofilia www.censura.com.br entregam nos próximos dias um dossiê ao Ministério Público Federal com informações de 13 empresas brasileiras que usam a rede mundial de computadores para exploração sexual infantil. A página do movimento Censura tem recebido em média 30 denúncias diárias.
O casal Anderson e Roseane Miranda, de São José dos Campos, pretende ampliar a campanha e conseguir uma maior fiscalização de usuários e autoridades. A campanha do site www.censura.com.br teve início há dois anos e até hoje 17 mil internautas visitaram a página. Neste período foram recebidas mais de duas mil denúncias de pornografia infantil na rede. As informações são repassadas mensalmente à Polícia Federal.
Roseane Miranda é advogada e tem procurado auxílio de órgãos públicos para atuar no combate à pedofilia na rede. Anderson Miranda, técnico em informática, tem investigado os sites denunciados e identificado autor, origem do material e endereços.
O casal envia uma mensagem mostrando as consequências legais deste tipo de crime e tenta convencer o responsável pela página a retirá-lo da rede. A cada seis abordagens, uma tem resultado positivo. ‘‘Nos últimos três meses conseguimos retirar 50 sites de pornografia infantil do ar’’, afirma Miranda.
O casal pretende estabelecer parcerias com a iniciativa privada e órgãos governamentais. Para estimular ações efetivas por parte das empresas, o Censura criou o selo Site Amigo da Criança. Até o momento, 300 empresas já se interessaram em agregar o símbolo da campanha a suas páginas na Internet.
O Censura pede mais rigor do governo federal com os provedores, que aceitam todo tipo de imagens e salas de conversação. Para os responsáveis pela campanha, os grandes provedores ignoram propositadamente esse tipo de ação criminosa para manter uma maior diversidade temática à disposição do cliente.