Brasília, 01 (AE) - O senador Pedro Piva (PSDB-SP) fez hoje, da tribuna do Senado, um discurso em homenagem à passagem dos 125 anos do jornal "O Estado de S. Paulo", no qual destacou que "todas as forças democráticas do País devem muito à posição assumida pelo jornal ao longo de sua ininterrupta atividade".
"Se hoje desfrutamos de liberdade total, se hoje o Brasil trilha novamente os caminhos da democracia, muito se deve à consciência crítica e à resistência ao arbítrio das quais o Estadão foi um dos maiores tradutores e porta-vozes", afirmou. O senador disse que "poucos órgãos de imprensa podem exibir um passado de lutas pela independência e pela liberdade, mantendo-se fiéis a esses princípios".
"Poucas, igualmente, são aquelas publicações que, embora centenárias, evoluem com o tempo e buscam a qualidade, a renovação gráfica e editorial capaz de mantê-las em sintonia com as transformações por que passa o mundo." Segundo ele, o Estado
fundado em 4 de janeiro de 1875, reúne todas essas credenciais e ainda é apontado por instituições como a Universidade de Columbia, em Nova York, como um dos 20 melhores jornais do mundo
ao lado de publicações respeitadas internacionalmente como The New York Times, The Washington Post e Le Monde.
O senador foi apoiado no seu discurso pelos senadores Romeu Tuma (PFL-SP), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Pedro Simon (PMDB-RS). Segundo Piva um "fato notável" sobre o jornal é que
das milhares de empresas brasileiras, somente 18 são centenárias e, dessas, apenas 5 foram inauguradas e permaneceram sob o controle da mesma família. "Esse é um dado notável, do qual certamente a quarta geração dos Mesquitas, que assumiram a responsabilidade de dar sequência à obra de seus antepassados, deve se orgulhar."