São Paulo, 09 (AE) - O governador de São Paulo, Mário Covas, descartou hoje a possibilidade de o PSDB apoiar o nome do ministro da Fazenda, Pedro Malan, à Presidência da República em 2002. "O Malan é um bom burocrata, mas não representa bem a ideologia do PSDB e não merece o meu voto." O governador admite
no entanto, que o ministro foi um excelente negociador da dívida externa do País e que tem "qualidades incomparáveis" mas, do ponto de vista político, Covas afirma discordar inteiramente de Malan, com quem andou trocando acusações, nos últimos dias, com relação à reforma tributária. Covas acredita que o ministro é o grande dificultador do andamento da reforma tributária, hoje, no País. "Se Malan quisesse a reforma já teria saída", reforçou.