A foto feita pelo satélite GOES mostra que a grande massa de ar seco, de origem polar e que está em aquecimento sobre o Sul do Brasil, não impede a entrada de áreas de instabilidade vindas da Argentina e do Paraguai. Essas áreas trazem mais nuvens que chuvas para a região. O ciclone extratropical ao largo do litoral de Santa Catarina mantém o mar agitado entre a costa gaúcha e a fluminense. A frente fria que se afasta para o alto mar, na altura do litoral da Bahia, deixa áreas de instabilidade sobre o interior do País.