ALKHAN-YURT, Rússia, 03 (AE-AP) - Os rebeldes chechenos resistiram duramente a uma tentativa das forças russas de penetrar no centro de Grozny nesta segunda-feira (03), enquanto combatentes nos arredores da capital enfrentaram as forças federais em duas cidades tomadas pela Rússia.
As forças russas tentaram durante semanas, sem sucesso, expulsar os rebeldes do centro de Grozny, onde os militantes estão bem entrincheirados em bunkers. Uma unidade avançada das tropas federais liderou uma operação no centro de Grozny nesta segunda-feira para tentar liquidar os rebeldes em volta da linha ferroviária, mas enfrentaram forte resistência, informou a agência de notícias ITAR-Tass, citando o Ministério de Defesa russo.
A rede de televisão NTV informou que as forças russas continuavam bombardeando Grozny e tropas terrestres avançavam em três frentes na esperança de encurralar os rebeldes no sul do país, onde são esperados pelas forças russas.
Mas não havia sinais de que os rebeldes se preparavam para abandonar suas posições defensivas na cidade, cuja captura daria à Rússia uma importante vitória psicológica.
Os combates se intensificaram em duas cidades próximas da capital. Akhmen Basnukayev, um comandante rebelde de campo, disse que os combatentes chechenos estavam se reunindo em uma acirrada tentativa de tomar Alkhan-Yurt, uma cidade ocupada quase totalmente pelos russos a sudoeste de Grozny, e diziam que as forças russas sofreram grandes baixas.
Refugiados informaram sobre combates, em Alkhan-Kala, entre russos e chechenos que aparentemente conseguiram escapar de Grozny.
O número de mortos e feridos aumenta drasticamente à medida que se intensificam os combates entre as tropas russas e os rebeldes na capital chechena e na região montanhosa do sul, reduto dos guerrilheiros.
As forças chechenas asseguraram hoje ter retomado o controle de quatro localidades ao redor de Grozny, fato não confirmado por fontes independentes e negado pelos russos.
A Associação das Mães de Soldados russos, com sede em Moscou, informou hoje que seu balanço da guerra indica a morte de pelo menos mil soldados e mais de 3.000 feridos. As cifras oficiais confirmam 574 mortos desde o início da ofensiva russa na Chechênia até o dia 27.