Bogotá, 26 (AE) - O alerta partiu do meia Rincón: as convocações de última hora de Ricardinho e Edílson, do Corinthians, podem representar um grande perigo para a Colômbia. O jogador do Santos e da seleção colombiana foi enfático ao dizer que a ausência de Rivaldo na partida de terça-feira, contra o Brasil, em Bogotá, não representa vantagem para o seu time. "O Ricardinho é o segundo melhor jogador do Brasil no momento", disse, destacando Rivaldo como o principal.
Ao ser lembrado que Edílson também está na lista de Wanderley Luxemburgo, Rincón demonstrou mais preocupação. "Nossa, ele é pior ainda", declarou, referindo-se ao atacante como um jogador tão ou mais importante que Ricardinho. O técnico da seleção colombiana, Luís Garcia, ouviu com atenção os elogios de Rincón à dupla corintiana e depois fez comentários cautelosos. "O Brasil tem vários jogadores de muita qualidade; quando sai um, entra outro que às vezes faz mais do que o esperado."
O afastamento de Rivaldo da estréia de Brasil e Colômbia nas Eliminatórias para o Mundial de 2002 foi minimizado pelos jogadores colombianos. Para o zagueiro Bermudez, que seria o encarregado de marcar o atacante do Barcelona, "assim como o Brasil não terá Rivaldo e Cafu, nós estaremos sem Asprilla, Valderrama e Valencia".
Bilhetes - Os 42 mil ingressos colocados à venda para o jogo no Estádio El Campin já estão esgotados. Restam apenas alguns bilhetes com cambistas. A renda deve chegar perto de 1 milhão de dólares e praticamente toda revertida para a Federação de Futebol da Colômbia. Uma vitória sobre o Brasil deve render um prêmio de 10 mil dólares para cada jogador colombiano.