Brasília, 10 (AE) - O presidente da comissão especial da Câmara que examina a proposta de emenda constitucional (PEC) da reforma tributária, Germano Rigotto (PMDB-RS), disse há pouco que o trabalho será concluído, "de qualquer forma", até o fim da convocação extraordinária do Congresso, no início de fevereiro, independentemente de acordo com o governo para elaboração de uma emenda aglutinativa que substituiria parte do relatório do deputado Mussa Demes (PFL-PI). Rigotto espera que a reunião da comissão tripartite - que reúne representantes da comissão, da União e dos Estados -, marcada para amanhã (11), às 15 horas, no Ministério da Fazenda, seja conclusiva em relação aos tributos federais. "Espero que o governo evolua em relação à proposta apresentada anteriormente, que a comissão considera muito tímida", afirmou Rigotto, anunciando que, mesmo que não haja acordo, a votaçã o dos últimos destaques ao substitutivo de Demes prosseguirá na próxima semana. O deputado disse ainda que não tem conhecimento do resultado da reunião prévia realizada há pouco pelo presidente Fernando Henrique Cardoso com os representantes do governo na comissão tripartite, preparatória para o encontro de amanhã. Da reunião, participaram os ministros da Fazenda, Pedro Malan; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alcides Tápias; da Casa Civil, Pedro Parente, e de Minas e Energia, Rodolpho Tourinho, além dos secretários-executivo do Ministério da Fazenda, Amaury Bier, e da Receita Federal, Everardo Maciel.