|
  • Bitcoin 107.368
  • Dólar 5,2681
  • Euro 5,5433
Londrina

COVID-19

m de leitura Atualizado em 17/05/2022, 14:15

Ressurgimento de novos casos gera retomada de medidas de proteção

O avanço da vacinação reduziu o número de óbitos, mas pandemia segue representando risco

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 16 de maio de 2022

Vítor Ogawa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O avanço da vacinação contra o novo coronavírus reduziu o número de óbitos e a flexibilização das medidas de restrição tem proporcionado a falsa sensação de que a pandemia da doença chegou ao fim. No entanto, o vírus Sars-Cov-2 continua circulando e ainda tem contagiado muitas pessoas. Tal fenômeno tem gerado preocupação de autoridades e está ocorrendo a retomada de medidas de proteção. Depois da liberação da obrigatoriedade do uso de máscaras por meio de um decreto estadual, a Secretaria Municipal de Saúde de Londrina, por meio da Diretoria de Vigilância em Saúde, encaminhou ofício para a Secretaria Municipal de Educação recomendando o uso de máscaras nas escolas municipais. O motivo é o crescimento do número de casos registrados na cidade. 

Imagem ilustrativa da imagem Ressurgimento de novos casos gera retomada de medidas de proteção Imagem ilustrativa da imagem Ressurgimento de novos casos gera retomada de medidas de proteção
|  Foto: Leandro Ferreira/Fotoarena/Folhapress
 

O secretário Felippe Machado foi procurado pela FOLHA, no entanto não atendeu as ligações, tampouco retornou as mensagens solicitando a entrevista.

Se no dia 16 de abril o boletim com os números da Covid-19 na cidade apresentava apenas 85 casos ativos e 30 casos confirmados, sem morte alguma, no boletim mais recente, divulgado segunda-feira (16) foram registrados 796 casos ativos (+836,47%), 202 episódios confirmados (+573,33%) e uma morte, no entanto, neste intervalo foram nove mortes decorrentes da doença. 

No boletim de sábado a cidade possuía 755 pessoas monitoradas em isolamento domiciliar. Outros 23 casos estão internados, entre os quais 14 permanecem em leitos moderados, de enfermaria, e outros nove estão na UTI. Londrina acumula 2.504 óbitos em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus e 133.407 casos confirmados.

Na faixa etária de 6 a 10 anos, sendo a situada na idade das crianças que frequentam as escolas municipais foram aplicadas 20.284 primeiras doses em Londrina, enquanto apenas 8.942 receberam a segunda dose no município, segundo números divulgados pela Sesa-PR (Secretaria de Estado de Saúde do Paraná) e Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná). 

O infectologista Walton Luiz Del Tedesco Junior, da Santa Casa de Londrina, afirmou que  os casos voltaram a subir. "É esperado, com a queda da temperatura, que os casos aumentem, mas até por ter maior quantidade de vírus circulante, o uso de máscaras seria importante para conter o número de casos", ressaltou o médico.  "Nao acredito em lockdown, até porque geralmente aqui  reflete um pouco tardiamente o que ocorre em outros países, mas com a Covid-19 tudo é imprevisível. Sempre podem surgir novas mutações." Ele comentou também sobre a subida dos números. "Saindo das incertezas, o fato é que estamos vendo aumento de casos, inclusive casos graves em crianças e estamos em tendência de aumento. Logo, medidas restritivas como o retorno temporário das máscaras podem ser tomadas sim."

No Paraná, no dia 16 de abril, o Estado possuía 30 pessoas internadas por Covid-19 e o boletim daquele dia apontava 116 confirmações da doença e nenhuma morte. Um mês depois, no boletim desta segunda-feira (16), ainda há 30 pessoas internadas, mas o boletim deste início da semana apontou 710 confirmações da doença (+512,06%) e uma morte. Neste intervalo de um mês houve 56 mortes e 57.115 confirmações da doença em todo o Estado.

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.