São Paulo, 05 (AE) - As vendas totais de soda cáustica e cloro, de janeiro a novembro de 1999, foram 0,9% maiores do que em igual período de 1998, informa a Associação Brasileira das Indústrias de álcalis e Cloro Derivados (Abiclor). Embora pequeno, o crescimento é considerado muito positivo diante da queda de 4,1% registrada na comparação dos resultados obtidos nos 11 primeiros meses de 1998 com o mesmo período de 1997. Para 2000, o otimismo de segmentos como o de papel e celulose e o de metalurgia anima a indústria de insumos.
Das 970.747 toneladas (t) vendidas de novembro a janeiro do ano passado, 921.120 t foram comercializadas no Brasil e outras 49.627 t exportadas. O número das exportações revela uma queda brutal: no mesmo período de 1998, elas chegaram a 84.536 t
representando 44% a mais do que foi vendido ao exterior em 1997. Já a comparação desse movimento de 1998 para 1999, revela que no ano passado as exportações cairam 41,3%.
A capacidade instalada total do setor no Brasil é de 1 317 milhão t/ano de soda cáustica e de cerca de 1,2 milhão t/ano de cloro e derivados. De janeiro a novembro de 1999, foram produzidas 1.185.189 t de soda cáustica, o que representou a ocupação de 89,9% da capacidade instalada. Já no mesmo período do ano anterior, a produção foi de 1.195.435 t, significando ocupação de 93,2% da capacidade total do setor.
Expectativas - O gerente de vendas da Carbocloro, Aníbal do Vale, afirma que o otimismo de segmentos como o de metalurgia e o de papel e celulose em relação à demanda, neste ano, projetam boas expectativas para o setor de soda e cloro. Hoje, diz ele, a Carbocloro só não ocupa 100% da capacidade total, por causa do encarecimento da energia no período das 17h30 às 20h - quando o consumo residencial aumenta muito. Nesse horário, a indústria reduz suas atividades nos processos de produção a mercúrio. "Mas, se fosse possível, ocuparíamos 100% da capacidade instalada durante todo o ano", afirma Aníbal do Vale.
A Carbocloro possui capacidade instalada de 284 mil t/ano de soda cáustica e de 253 mil t/ano de cloro e derivados. No ano passado, a indústria ampliou a produção de cloro de 235 mil t para 253 mil t. E pretende expandir ainda mais a produção nos próximos anos, com base no aumento da demanda brasileira.
De janeiro a novembro do ano passado, o uso de soda cáustica líquida para tratamento de água no Brasil cresceu 72,9% em comparação com os mesmos meses de 1998. De um ano para o outro o cosnumo saltou de 2.663 t para 4.605 t. O fornecimento de energia elétrica, importante insumo para o setor eletro-intensivo, é garantido para a Carbocloro por um contrato de fornecimento assinado entre a indústria e a Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), no final de novembro do ano passado.