Rebelião deixa treze presos mortos em Mato Grosso11/Mar, 13:00 Por Nelson Francisco Cuiabá, 11 (AE) - Treze presos foram mortos e três ficaram feridos hoje, na segunda maior rebelião já ocorrida em Mato Grosso. O motim entre grupos rivais foi causado pela disputa do controle do tráfico de drogas e concessão de privilégios na Penitenciária da Mata Grande, em Rondonópolis, sul do Estado, a 220 quilômetros de Cuiabá. A briga entre os presos começou por volta das 7 horas durante o banho de sol, quando 17 presos tomaram quatro carcereiros como reféns e invadiram a ala 3. As mortes foram provocadas por armas artesanais feitas pelos próprios detentos. Um deles foi degolado. A rebelião foi controlada em menos de três horas por cerca de 50 policiais, que invadiram o presídio. Além do tráfico de drogas e privilégios a traficantes, alguns detentos estavam revoltados com companheiros de cela, que tomaram 24 familiares como reféns durante 72 horas em fevereiro. Outra rebelião, ocorrida dia 3 de fevereiro deixou 13 mortos no Presídio do Carumbé, em Cuiabá. Durante toda a manhã o clima era tenso dentro e fora do presídio. A todo momento parentes, familiares e amigos de detentos buscavam informações. O coordenador do Sistema Penitenciário da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania, José Carlos de Carvalho, deve divulgar a relação dos presos mortos apenas amanhã. Segundo ele, a possibilidade de fuga em massa está descartada. A Polícia Militar, através do Batalhão de Guarda e de reforços do 5º Batalhão cercaram a instituição penal. Há três meses, durante a inauguração de uma ala do presídio, considerado de segurança máxima, o ministro da Justiça José Carlos Dias foi recebido à bala em uma das constantes rebeliões que ocorrem no local.