Santos, SP, 30 (AE) - Até o final da tarde de hoje o Instituto Médico Legal de Santos não havia identificado o corpo do rapaz aparentando 30 anos, pardo, de bigode e cavanhaque, que foi espancado e morto dentro do xadrez do 7º Distrito Policial, na madrugada de sábado. O crime teria sido praticado por oito rapazes, que junto com a vítima, foram detidos na areia da praia do Gonzaga, durante o show do grupo Só Pra Contrariar, na noite de sexta-feira.
Dos oito rapazes que se encontravam na cela, Gleidson da Fonseca Silva, de 21 anos, e Willis Santos Chaves, de 20, foram acusados e autuados pela morte do desconhecido. De acordo com a polícia, o grupo foi detido por promover desordens durante a apresentação do conjunto, nas proximidades da Concha Acústica, no Canal 3. Os detidos acabaram brigando dentro do xadrez, sem motivo justificável.
Segundo os policiais que se encontravam no plantão, Gleidson e Willis foram os que mais se insurgiram contra a vítima, agredindo-a com socos e pontapés. Eles teriam até arremetido a cabeça do rapaz contra a parede, provocando traumatismo de crânio. O desconhecido foi encaminhado ao Pronto-Socorro Central, onde já chegou morto.