Brasília, 11 (AE) - O líder do PT na Câmara, deputado José Genoíno (SP), comunicou há pouco ao presidente do Senado, Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), que não vai participar de negociações para modificar a proposta de emenda constitucional que limita a edição de medidas provisórias (MPs). Genoíno disse a Magalhães que fará um comunicado de liderança no plenário da Câmara, afirmando que, se houver modificações no texto da MP aprovado pelo Senado, o PT vai obstruir todas as matérias da convocação extraordinária do Congresso, principalmente a proposta de emenda constitucional que prorroga a vigência da Desvinculação de Receitas da União (DRU, o antigo Fundo de Estabilização Fiscal - FEF).
"Se houver modificação na PEC das medidas provisórias, vamos fazer uma guerra contra a DRU no plenário. E depois não venham responsabilizar o PT pelo fracasso da convocação extraordinária", advertiu o líder petista. Ele disse, ainda, que não concorda com a posição do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), de só colocar em votação a proposta das medidas provisórias com a garantia de aprovação. "É preciso acabar com essa história de quórum para aprovar matérias como a PEC das MPs e a da imunidade parlamentar", afirmou. "Chegamos ao limite. Não dá mais! O presidente da Câmara tem que colocar para o voto, perdendo ou ganhando, e o parlamentar, deixar lá sua impressão digital". Genoíno informou que vai comunicar a decisão ao presidente da Câmara.