|
  • Bitcoin 102.000
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 21/06/2022, 16:50

Professores estaduais fazem ato por reposição salarial

Manifestantes reuniram-se na Praça 19 de Dezembro, em Curitiba; categoria cobra melhores condições de trabalho

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 21 de junho de 2022

Vítor Ogawa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Um ato organizado pela APP-Sindicato (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná) reuniu professores na Praça 19 de Dezembro, em Curitiba, nesta terça-feira (21). Segundo Walkiria Olegário Mazeto, que encabeça a direção da entidade, o protesto mobilizou os 26 núcleos sindicais espalhados pelo Estado. “Tivemos uma média de 70% das escolas paradas totalmente e nas demais escolas tivemos paralisação parcial, assim nem todos vieram para Curitiba”

Professores e demais servidores da rede estadual de ensino fazem dia de paralisação Professores e demais servidores da rede estadual de ensino fazem dia de paralisação
Professores e demais servidores da rede estadual de ensino fazem dia de paralisação |  Foto: Ernani Ogata/Código 19/Folhapress
 

Ela explicou que o ato defende que o governo pague a reposição salarial (12,13%) referente aos últimos 12 meses e 3,39% referente a 2016. “Queremos que o governo amplie a faixa de isenção do desconto previdenciário de quem já está aposentado, dos atuais três salários mínimos para o piso INSS; e pague as promoções de carreira”, declarou.

Nas redes sociais, a APP-Sindicato explicou que a manifestação também é “contra o assédio, as péssimas condições de trabalho, os calotes e o desrespeito do governo com a educação.” O sindicato afirma que, em função dos prazos legais do período eleitoral, o mês será crucial para avançar nas pautas, em especial a data-base. 

Leia também:

+ Tamanduá-bandeira Flora receberá alta em 20 dias

+ Paraná vai aplicar 2ª dose de reforço em pessoas acima de 40 anos

Segundo o sindicato, o Estado acumula uma dívida superior a 36% com o funcionalismo. “A janela eleitoral impõe o prazo de 1º de julho para a recomposição das perdas inflacionárias dos últimos 12 meses (12,13%). Outros 3,39% já estão aprovados e carecem apenas da autorização do governador, independentemente do período eleitoral.” “Os deputados acompanharam o movimento nesta terça-feira e estão no apoio e buscando saídas para que o governo honre a pauta.”

Na quarta-feira (22) a direção do sindicato se reunirá às 13h30 na Casa Civil para ter resposta do governo sobre as pautas. A reportagem entrou em contato com a Seed-PR (Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná), que preferiu não comentar sobre a manifestação e as reivindicações da categoria. 

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.