São Paulo, 10 (AE) - Carcereiros e funcionários do 5º Distrito Policial, localizado no bairro da Aclimação, na zona sul da cidade, viveram momentos de tensão em razão de uma rebelião de presos, realizada no fim da tarde de hoje (10), que durou cerca de três horas. A carcereira Rosineire Márcia Pereira foi feita refém. A revolta foi um protesto dos detentos contra a superlotação - com capacidade para 70 presos, o 5º DP mantinha hoje 162. Eles reivindicaram transferências.
O motim teve início às 17 horas, quando funcionários da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) entraram na área da carceragem para consertar um vazamento. Nessa hora, alguns presos tentaram fugir do local, sem sucesso. Outro grupo quebrou paredes, ateou fogo em colchões e outros objetos, além de dominar a carcereira.
A delegada plantonista Cláudia Halenpecq ficou responsável pelas negociações. Do lado de fora da delegacia, homens da Polícia Militar, do Grupo de Operações Especiais (Goe) e da Polícia Civil acompanhavam a movimentação dos detentos. Por volta das 20 horas, o motim chegou ao fim com a transferência de 12 presos para a Cadeia Pública de Pinheiros.