Quito, 06 (AE-DOW JONES) - O presidente do Equador, Jamil Mahuad, decretou estado de emergência nacional para enfrentar protestos organizados pela oposição. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro Vladimiro Alvarez.
"Em um esforço para confrontar os protestos contra o governo, o presidente Mahuad decretou estado de emergência", disse Alavarez.
Sob estado de emergência, estão suspensos vários direitos civis garantidos normalmente pela Constituição; os poderes da polícia e das Forças Armadas são ampliados.
Apesar do decreto, sindicatos e organizações de estudantes participaram de passeatas de protesto contra o governo Mahuad em Quito.
Os sindicatos estão exigindo a renúncia de Mahuad e o fechamento do Congresso e do Judiciário; eles ameaçam convocar uma greve geral.