Montevidéu, 09 (AE-AP) - O presidente do Uruguai, Julio Maria Sanguinetti, disse estar disposto a servir de mediador no caso do menino cubano Elián González, protagonista de uma disputa diplomática entre Cuba e exilados cubanos nos EUA. Segundo a imprensa uruguaia, o presidente recebeu uma carta do advogado da família de Elián em Cuba pedindo sua interferência no caso. O pai do garoto, respaldado pelo governo de Fidel Castro, exige a devolução de Elián, mas familiares e exilados cubanos em Miami afirmam que ele deveria permanecer nos EUA, onde teria melhores condições materiais de vida.