Assunção, 25 (AE-AP) - O presidente paraguaio, Luis González Macchi, recebeu na noite de ontem (24) uma pedrada quando se dirigia a milhares de manifestantes reunidos na frente do prédio do Congresso que protestavam contra o que chamaram de "desgoverno" da nação.
A pedra, pequena, bateu na frente do presidente, que aparentemente não se feriu. O mandatário foi imediatamente protegido por sua guarda de segurança.
Com o lema "Poder Cidadão", umas 25 mil pessoas, em sua maioria jovens, pediam o fim da corrupção e da impunidade nos meios estatais.
O presidente não havia sido convidado para o ato, mas ele apareceu inesperadamente ao lado de sua esposa, a ex-miss paraguaia 1980 Susana Galli, e de vários guarda-costas.
Logo depois de o sacerdote jesuita Francisco de Paulo Oliva, organizador do protesto, ter terminado de ler um discurso questionando o não cumprimento de várias promessas, González Machi falou de improviso por apenas dois minutos.
Quando pegou o microfone, choveram sobre o palco diversos objetos, como pedras e paus.
Um dos projéteis, uma pequena pedra, atingiu o chefe de Estado. Com a multidão pedindo que saísse do lugar, González Macchi, aos gritos, disse que "esta praça também é minha, tenho direito de estar aqui e tenho o direito de expressar meus sentimentos assim como vocês. Em março do ano passado estive aqui lutando pela democracia em companhia de minha esposa e filhos".
Ele acrescentou que "quero como vocês um país melhor para viver" e em seguida se retirou com sua escolta enquanto a multidão continuava a jogar objetos no palco.