Londrina - ''Os homens estão muito mais abertos à discussão sobre o câncer de próstata e o preconceito (contra o exame) vem diminuindo a cada dia.'' A afirmação é do urologista Ricardo Brandina, de Londrina, que participou do lançamento da campanha ''Dia Azul'', ontem na Câmara de Vereadores.
O evento marca a instituição da data no calendário oficial do município, que a partir deste ano será comemorado, anualmente, no dia 27 de novembro, data alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Câncer.
Segundo o urologista, o objetivo da campanha é conscientizar um número cada vez maior de homens sobre a importância da realização de exames de prevenção ao câncer de próstata após os 40 anos para um diagnóstico precoce, visto que quando detectada em seu estágio inicial, a chance de cura, por meio de cirurgia ou radioterapia é de 90%.
''Acredito que a campanha terá um importante incentivo para que cada vez mais homens tenham acesso às informações referentes à doença e entendam a importância do exame'', ressalta e especialista, apresentando dados que comprovam que o acesso a mais informações sobre a doença tem favorecido a participação dos homens com idade superior a 46 anos na realização dos exames.
''De acordo com uma pesquisa que realizamos, em 1994, cerca de 70% dos homens não realizavam os exames anualmente, já em 2009, esse número caiu para 38%'', apontou.
No entanto, na mesma proporção com que cresce o interesse dos homens em realizar os exames, o urologista afirma que tem crescido também o número de novos casos.''No Brasil, são 400 mil novos casos a cada ano. Um novo caso a cada três minutos e também nova uma morte a cada três minutos'', especifica, destacando que o câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais mata e a segunda causa de morte entre homens nas regiões Sul e Sudeste.
Segundo Brandina, estudos apontam que pelo menos um em cada seis homens terão esse tipo câncer e para eles, somente a realização do exame preventivo anual poderá diagnosticar a doença, visto que o desenvolvimento em sua fase inicial não apresenta sintomas. ''Eles geralmente não sentem nada. Somente quando a doença já está em um estágio mais avançado, em que se espalhou para outras partes do organismo que o paciente pode vir a sentir dores no corpo, por exemplo'', acrescenta.
''Por isso é tão importante que os homens, principalmente após ps 40 anos, façam o exame de PSA - que pode constatar o aumento excessivo da substância no sangue - e do exame de toque retal'', explica.
De acordo com o especialista, os principais fatores de risco são a idade e a raça. ''Aos 80 anos de idade, por exemplo, cerca de 50% dos homens com certeza irão desenvolver algum tipo de doença de próstata, incluindo o câncer. Probabilidade que tende a ser maior em homens negros, embora ainda não saibamos o motivo'', diz.
Segundo Brandina, a população masculina pode procurar informações e solicitar exames preventivos nas próprias unidades básicas de saúde, porque os clínicos gerais também estão preparados para este atendimento. ''É claro que o médico urologista poderá informar mais detalhes, mas o clínico geral pode solicitar o exame e detectar o problema.''

Imagem ilustrativa da imagem Preconceito contra exame é cada vez menor