São Paulo, 29 (AE) - A direção nacional do PPS iniciou hoje em São Paulo um diálogo com o PSDB para tentar levar adiante a proposta do partido de fazer uma aliança de centro-esquerda para disputar as eleições municipais deste ano, apesar de o pré-candidato e deputado federal Emerson Kapaz (PPS-SP) ter abandonado os tucanos por falta de espaço político para disputar a sucessão do prefeito Celso Pitta (PTN). A proposta foi apresentada pelo líder do PPS no Senado, Paulo Hartung (ES), ao governador Mário Covas (PSDB), durante reunião no Palácio dos Bandeirantes.
Hartung disse que Covas foi receptivo à idéia, mas deixou claro que o "tema" deve ser discutido. Covas não falou sobre o assunto.
O presidente nacional do PPS, senador Roberto Freire (PE), disse que o fato de o líder ter procurado Covas não significa uma tentativa de aproximação com o PSDB. "Defendemos há anos a união da centro-esquerda e, como é difícil a união nacional, quem sabe na sucessão municipal seja possível", disse Freire.
Kapaz disse hoje que o fato de a Executiva Nacional do PPS estar conversando com outras legendas não atrapalha em nada os planos dele. "A tese defendida é a mesma e isso reafirma a sintonia partidária", justificou.
Ele admitiu, entretanto, que a conversa com o PSDB tem de ser partidária. "Não acho que o fato de ter deixado o partido (PSDB) dificulte uma conversa, mas, nesse momento, eu não os procuraria, tanto que o líder do partido no Senado é que procurou o governador Mário Covas", admitiu Kapaz.
Ele iniciou na semana passada as primeiras conversas para convencer o PT e o PSB a forma uma aliança de centro-esquerda em torno de um candidato comum. Como sabe que dificilmente os partidos abandonarão candidaturas nessa fase, o pré-candidato do PPS optou por propor a realização de debates para discutir as questões da cidade.
Kapaz conversou com a deputada federal Luíza Erundina (PSB-SP) e a virtual candidata do PT e ex-deputada Marta Suplicy (SP). A próxima reunião deve ser com o PDT, que poderá ter presença do presidente nacional do partido, Leonel Brizola, mas a data ainda não foi definida.
A reportagem procurou o presidente do Diretório Municipal do PSDB, João Câmara, mas ele não foi localizado.