As constantes ocupações de prédios públicos e de terras por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) são reprovados pela população, conforme pesquisa telefônica encomendada pelo governo e divulgada ontem pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário. De mil pessoas ouvidas no dia 19 pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), com sede em Pernambuco, 79% condenam a invasão de terras e 82% a ocupação de prédios públicos como forma de reivindicação. O índice de aprovação de ocupações ficou abaixo de 20%.
O Ipespe ouviu pessoas de diversas faixas etárias e salariais e dos diferentes níveis de escolaridade em todo o País. Setenta por cento dos ouvidos consideram errada a forma pela qual os líderes conduzem o movimento. Dos entrevistados, 87% são favoráveis a que o governo realize auditorias para apurar denúncias de cobrança de pedágios a assentados que recebem crédito da reforma agrária. A prática, se confirmada, é condenada por 63%. (A.E.)