Polícia de Nova York mata outro negro desarmado2/Mar, 18:11 Nova York, 02 (AE-AP) - Uma semana depois da absolvição de quatro agentes da Polícia de Nova York (NYPD) que, no ano passado, dispararam 41 tiros contra um africano desarmado, policiais da mesma corporação mataram na noite de quarta-feira, no mesmo local, Bronx, outro morador negro do bairro, que também não portava armas. Malcolm Ferguson, de 23 anos, levou um tiro na cabeça quando tentava escapar de uma batida policial na região. Alvo de barulhenta manifestação de moradores negros e hispânicos do bairro que lançaram pedras e ovos contra viaturas policiais, a NYPD tentou justificar a ação de seus agentes. Ressaltou que o novo incidente nada tem a ver com o caso do desarmado guineano Amadou Diallo, que teve o corpo todo perfurado por balas. Diallo não tinha antecedentes criminais. A ficha policial dele era limpa. "Ferguson era conhecido da polícia, com três condenações por tráfico de drogas", disse um porta-voz da corporação, acrescentando que, embora estivesse desarmado, ele carregava "várias bolsinhas com heroína". A NYPD tem sido acusada de agir com violência no cumprimento de sua tarefa. Ainda na quarta-feira, dois policiais haviao sido arrolados em processo por "brutal agressão" de um morador do Bronx no ano passado, que teve o nariz fraturado. Aguarda-se também para breve sentença de um tribunal novaiorquino contra vários policiais acusados de torturar um haitiano numa delegacia. A força policial, criada pelo prefeito Rudoph Giuliani, é responsável por uma drástica redução dos índices de criminalidade na cidade.