|
  • Bitcoin 121.481
  • Dólar 5,0538
  • Euro 5,2302
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 21/07/2022, 17:07

Polícia conclui investigação sem saber causa da morte de adolescente envolvido em briga

Delegado suspeita que garoto de 13 anos morreu após sofrer várias convulsões; laudo do IML não tem data para ser concluído

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 21 de julho de 2022

Rafael Machado - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

A Polícia Civil de Apucarana terminou a investigação da morte de um adolescente de 13 anos que brigou na saída do colégio sem responder a principal pergunta do caso. Os investigadores não conseguiram afirmar qual foi a causa do óbito. O inquérito já foi encaminhado à Justiça. 

Imagem ilustrativa da imagem Polícia conclui investigação sem saber causa da morte de adolescente envolvido em briga Imagem ilustrativa da imagem Polícia conclui investigação sem saber causa da morte de adolescente envolvido em briga
|  Foto: Vitor Ogawa/Grupo Folha
 

Em nota, a polícia informou que "analisou todas as evidências do caso e, a princípio, a morte não se deu por decorrência das agressões. Laudos complementares estão em andamento para comprovar a verdadeira causa, desconhecida até o momento". 

LEIA MAIS

Delegado acredita que adolescente morreu após convulsão em Apucarana

O delegado-adjunto da 17ª Subdivisão Policial, Felipe Ribeiro Rodrigues, ouviu 16 pessoas no total, entre familiares, os garotos envolvidos na briga e outras testemunhas. Ele disse que ninguém foi responsabilizado pela morte porque o laudo do IML "ainda não foi conclusivo". 

"Não foi uma briga propriamente dita. Um deu um soco na cara do outro e o outro na cara de um. Daí a vítima já caiu convulsionando e depois morreu", explicou Pinheiro. A declaração reforça a tese inicial dele dias depois da morte. A linha de apuração era que o adolescente sofrido um mal súbito. 

Familiares ouvidos pela FOLHA confirmaram que o estudante tinha convulsões constantes. Ele foi enterrado em um cemitério de Apucarana. 

O FATO

O adolescente estudava no Colégio Estadual Padre José Canale. A briga aconteceu perto das 18h do dia 21 de junho em uma área de lazer do jardim Ponta Grossa. Ele foi socorrido por funcionários de um posto de saúde e morreu a caminho do Hospital da Providência. 

O número exato de pessoas que teriam participado das agressões ainda é incerto. A Polícia Militar chegou a apreender alguns meninos que seriam suspeitos, mas eles foram liberados após serem ouvidos na delegacia. 

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.