São Paulo, 01 (AE) - A preocupação com o bug do ano 2000 fez com que fosse montado um plantão especial dos órgãos de segurança e representantes de setores essenciais na sede da Polícia Militar, no bairro do Bom Retiro, em São Paulo. A chamada "Sala de Situação" reuniu funcionários da Eletropaulo, Sabesp, Comgás, Metrô, CET, Telefônica, Defesa Civil - além de Polícia Militar, Civil e Corpo de Bombeiros. A contagem regressiva para o ano novo foi acompanhada com atenção, mas uma salva de palmas poucos segundos depois da virada comemorou a normalidade da transição e a ineficácia do bug.
Todos foram mantidos em alerta, a partir das 22 horas de ontem (31), interligados por uma rede especial de comunicação por rádio, chamada Rede Bug 2000, que também mantinha contato diretamente com o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado. Cada representante podia saber segundo a segundo as informações de suas áreas e repassá-las aos outros. Em caso de falta de energia elétrica podiam comunicar-se por rádio.
Na sala, os plantonistas tinham acesso a informações de todos os tipos: dos chamados para o telefone 190 da PM a notícias da Internet. Por televisão a cabo, também eram observados os acontecimentos sobre a virada do ano em todo o mundo.
Em cada uma das empresas a PM também manteve viaturas policiais com dois cabos e um soldado para servirem de ligação em caso de emergência ou falha de comunicação por falta de energia elétrica. Até as 23h, o único a ter um pouco de trabalho era o representante da Eletropaulo. A queda de energia em vários pontos da cidade em razão da chuva, segundo a empresa, fez com que ficasse sem energia elétrica o presídio de Parelheiros, o 10º DP (Penha), o 30º DP (no Tatuapé) e o 1º DP de São Bernardo do Campo. No 30º DP, onde os presos, em protesto, foram para o pátio e colocaram fogo em colchões, o tumulto foi logo controlado.
Às 23h30, uma rebelião no presídio de Franco da Rocha fez que fosse deslocada a tropa de choque e o resgate do Corpo de Bombeiros para o local. A informação era de que havia feridos. Antes da meia-noite a rebelião foi controlada.
Quinze minutos depois as atenções voltaram-se para o cadeião de Pinheiros, onde 250 menores da Fundação Estadual para o Bem-Estar do Menor começaram uma rebelião, subindo no teto e ameaçando fuga. O prédio foi cercado por policiais.
190 - Para o atendimento das ligações pelo 190, a PM designou 44 pessoas. A exemplo do Natal (dia recordista do ano em chamados, com 59 mil), a expectativa era de que o número de ligações crescesse.