Frankfurt, 12 (AE-DOW JONES) - O ritmo de crescimento da economia alemã recuou para 1,4%, em termos reais, em 1999, de 2 2% em 1998, segundo a Agência Federal de Estatísticas. Os dados sobre o PIB da maior economia européia ficaram dentro das expectativas dos economistas, mas abaixo da previsão de crescimento de 1,5% feita anteriormente pelo governo alemão.
Para 2000, as autoridades projetam uma aceleração de 2,5%, considerando que a recuperação das exportações iniciada no segundo semestre de 1999 deverá continuar neste ano. O déficit público em relação ao PIB caiu para 1,2%, de 1,7% em 98 e 2,6% em 97.
O resultado ficou bem abaixo do limite de déficit de 3% imposto pelo Tratado de Maastricht para a comunidade do euro.
Os investimentos corporativos em fábricas e equipamentos cresceram 5,1% no ano passado na Alemanha, abaixo do incremento de 9,2% do ano anterior. O consumo privado aumentou 2%, em um ritmo menor que a expansão de 2,3% de 98, enquanto consumo público registrou uma aceleração de apenas 0,3%, também abaixo do crescimento de 0,5% de 98.
Os gastos com construção recuaram 0,2%, após terem caído 3,9% em 1998. A produtividade média das empresas cresceu 1,1% em 1999. Esse dado é importante para as negociações salariais.
A IG Metall Union, maior central sindical do país que representa 3,4 milhões de trabalhadores, baseou a sua exigência de aumento de 5,5% dos rendimentos desses funcionários para este ano na expectativa de que a produtividade cresça 3,5% em 2000.