A Polícia Federal deve convocar cerca de 100 pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para serem ouvidos sobre desvio de dinheiro na Cooperativa de Trabalhadores Rurais do Centro-Oeste do Paraná (Coagri), situada em Bituruna (a 76 km de União da Vitória). O pedido já foi encaminhado pela Advocacia Geral da República, que está investigando a cobrança de ‘‘pedágio’’ pelos dirigentes do MST sobre os créditos usados para a reforma agrária. A sindicância do Incra foi feita em 29 unidades, mas o resultado motivou a ação da Advocacia da União, em 13 estados.
A data para convocar as pessoas não foi definida, já que o processo ainda está sendo articulado em Brasília. Um delegado ainda deve ser nomeado no Paraná. Há suspeita de desvio sobre R$ 15,8 milhões repassados à Coagri. As informações foram levantadas pela sindicância do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Cada assentado pagaria um pedágio de 3% e os fornecedores de implementos agrícolas pagariam uma taxa de 20% da compra para a direção do MST.
A Folha procurou durante toda a tarde os dirigentes do MST, para que se pronunciassem sobre o assunto. O coordenador do movimento, Roberto Baggio, não atendeu as ligações de seu celular. E os diretores da Coagri estavam em reunião e ficaram de dar uma resposta, mas não o fizeram até o fim da edição.
Para o advogado da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Darci Frigo, o processo foi unilateral e sumário. Ele afirma que o movimento não teve tempo e oportunidade para se defender. ‘‘O MST não teve acesso ao conteúdo do processo e sabe do assunto apenas pela imprensa’’, criticou.
Já o superintendente regional do Incra, José Carlos de Araújo Vieira, afirma que o processo foi ileso. Auditores do Incra de São Paulo vieram até Curitiba e fizeram o levantamento. Os funcionários regionais não participaram do processo. No entanto, podem ser convocados a depor, caso a Polícia Federal e o Ministério Público achem necessário. ‘‘Até o momento, não foi registrado nenhum envolvimento de servidores’’, disse.