PF estoura depósito de madeira de funcionário do Ibama4/Mar, 13:45 Por Carlos Mendes Belém, 4 (AE)- Agentes da Polícia Federal e fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis estouraram ontem (3), no centro de Belém, um depósito clandestino de madeira onde eram armazenadas espécies nobres do produto, como angelim, cedro e pau amarelo. Cerca de 20 metros cúbicos de madeira serrada foram apreendidos. O dono do depósito era o chefe da fiscalização do próprio Ibama em Dom Eliseu, na fronteira do Pará com o Maranhão, Lúcio Henrique Nogueira. Há 15 dias, o nome de Nogueira apareceu numa relação de quatro servidores do Ibama envolvidos na aprovação de um plano de manejo de 124 mil metros cúbicos de madeira numa fazenda em Paragominas, no leste do Pará. A fazenda Romualdo nunca existiu, segundo investigação de técnicos do próprio Ibama e consulta a registros no Incra, Receita Federal e associações de madeireiros da região. O funcionário do Ibama não estava no local na hora em que os agentes chegaram. O depósito funcionava nos fundos de uma residência ao lado de uma casa de Nogueira. Os policiais, munidos de uma mandado de busca e apreensão da Justiça Federal, arrebentaram a marteladas os cadeados para abrir o portão do depósito. "Isso deve ter sido madeira apreendida em fiscalização comandada por ele ou oriunda de acertos. Mesmo que esse depósito fosse regular, um funcionário do Ibama é impedido por lei de manter atividade correlata", afirmou o chefe dos fiscais do órgão no Estado, Régis Furtado. No início da tarde de ontem (4), Nogueira entrou na Justiça Federal com pedido de habeas-corpus preventivo, temendo que seja preso, mas o procurador federal Felício Pontes Júnior deu parecer contrário, ao ser consultado pelo juiz da 5a Vara Federal em Belém, Rubens Rollo D'Oliveira. Como o prazo de 24 horas para o servidor do Ibama ser preso em flagrante já se esgotou, o delegado da PF, Hélio Khistian, deve pedir sua prisão preventiva na segunda (6).