Petrobrás não quer sair da área petroquímica6/Mar, 9:49 Por Milton F.da Rocha Filho São Paulo, 6 (AE) - O novo presidente do BNDES, Francisco Gros, estranhou a participação da Petrobras no setor petroquímico, na sua posse na semana passada, e com isto, segundo um executivo da companhia, provocou aborrecimento na estatal do petróleo, que tem na petroquímica, um de seus cinco pontos de investimentos. Os outros quatro são o gás natural; a exploração e produção do petróleo; o refino; e a distribuição. Por uma questão de elegância, o presidente da Petrobras, Henri Reichstul não fez comentário algum sobre as palavras de Gros, preferindo mostrar posteriormente, que a empresa ao longo dos últimos anos não deixou o setor petroquímico, fazendo parte de empreendimentos importantes. O pronunciamento de Gros foi considerado como fora de propósito e feito em um momento delicado, em que a empresa, que é sócia do Pólo Gás do Rio de Janeiro, negocia com seus sócios naquele empreendimento, um financiamento junto a uma série de bancos internacionais. Um dirigente da estatal de petróleo salientou que a vocação da companhia na área petroquímica, é comprovada na história. "Nós produzimos a matéria prima. Fornecemos. Entramos agora no Pólo Gás do Rio de Janeiro, como sócio, com cerca de 17%. Estamos na Copene e em outros empreendimentos, como na Petroquímica Triunfo, no Sul do País. Só vamos sair de empreendimentos antieconômicos, nada mais do que isto", afirmou. A idéia na Petrobras é fortalecer as cinco áreas prioritárias para investimentos.E isto está sendo feito, basta se verificar o plano de investimentos plurianual da companhia.