Rio, 07 (AE) - A Petrobras anunciou hoje a criação de uma Coordenação de Compensações para definir formas de ressarcir pescadores e comerciantes prejudicados pelo vazamento de 1,3 milhão de litros de óleo na Baía de Guanabara, dia 18. "A ajuda de custo que está sendo paga aos pescadores é uma medida emergencial", disse a assistente da Superintendência de Recursos Humanos, Sílvia Sampaio Lopo."Vamos fazer estudos e propor critérios para compensações a médio e longo prazo", disse a integrante da nova coordenação.
A Coordenação de Compensações é formada por treze funcionários da Petrobras - engenheiros, administradores, profissionais de comunicação e especialistas em meio ambiente. Os integrantes do grupo já começaram a fazer um levantamento sócio-econômico das regiões atingidas pelo óleo, determinando as atividades econômicas de cada local e de que forma foram prejudicadas pelo acidente ecológico.
Equipes da própria Petrobras, da Agência Rio e das associações comerciais dos municípios atingidos já começaram a cadastrar comerciantes e prestadores de serviço em Paquetá, Magé
São Gonçalo e Guapimirim para determinar de que forma eles teriam sido prejudicados. "Estamos ainda em fase preliminar dos estudos; não podemos dizer se as compensações serão em forma de ajuda de custo ou indenizações", disse Sílvia. Os estudos deverão estar prontos em duas semanas.
A Federação dos Pescadores do Estado calculou em R$ 119 milhões o prejuízo dos dez mil pescadores que teriam sido diretamente prejudicados pelo vazamento de óleo.