Porto Alegre, 3 (AE) - A edição anual da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), da Fundação de Economia e Estatística/RS (FEE), constatou um aumento do desemprego nos 22 municípios da região metropolitana. Embora a taxa de desemprego mensal, também medida pela PED, tenha se estabilizado no segundo semestre e recuado em novembro e dezembro (caiu de 19,4% para 18 1% no último mês de 1999), os números referentes ao ano inteiro apontaram um incremento de 71 mil no total de desempregados.No ano passado, houve um crescimento do nível de ocupação de 2,1%, mas a oferta de vagas não foi suficiente para absorver o ingresso de 100 mil pessoas à procura de trabalho. O estudo foi divulgado hoje.
Os rendimentos médios reais do trabalho na região, que abrange 22 municípios, recuaram 3,6% para o total de ocupados e 1,6% para os assalariados. Segundo a PED, em valores de novembro de 1999, o rendimento médio ficou em R$ 633,00 e o salário médio em R$ 636,00.
As taxas anuais de desemprego, avaliadas pela PED, vem aumentando desde 1995. O contingente de desempregados passou na área metropolitana de 160 mil, em 1995, para 198 mil no final de 1996. Cruzou a barreira dos 200 mil no ano seguinte, quando fechou em 205 mil pessoas em busca de ocupação. Em 1998, elevou-se para 260 mil e, no ano passado, chegou aos 331 mil. De 1996 a 1999, foram batidos recordes históricos sucessivos.
Oferta -Em 1999, houve aumento na oferta de vagas na indústria (mais sete mil vagas), comércio (mais seis mil) e serviços domésticos (mais três mil). Porém, a grande performance foi, novamente, do setor de serviços, no qual surgiram 18 mil empregos. Calçados e setor mecânico sustentaram o avanço da indústria, que voltou a crescer. A construção civil fechou quatro mil postos. Além da FEE, o Dieese, a Fundação Seade e a Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social participaram do trabalho.