|
  • Bitcoin 123.997
  • Dólar 5,0950
  • Euro 5,2414
Londrina

Geral

Atualizado em 19/08/2019, 21:09

Parque da Ilha Grande queima há dez dias

Brigadistas travaram um combate intenso com o fogo desde a última sexta-feira (16); trabalho durou 31 horas

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Fernanda Circhia - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O incêndio de grandes proporções que atinge o Parque Nacional de Ilha Grande (Noroeste) completou dez dias no domingo (18). Conforme o boletim divulgado pelo chefe do núcleo de gestão integrada do ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) rio Paraná, Erick Caldas Xavier, foram 31 horas de combate intenso desde a madrugada de sábado (17) até o final da manhã de domingo (18). 

Os focos de incêndio se alastraram rapidamente devido aos fortes ventos no sábado (17); incêndio já consumiu cerca de 48% do parque
Os focos de incêndio se alastraram rapidamente devido aos fortes ventos no sábado (17); incêndio já consumiu cerca de 48% do parque
Os focos de incêndio se alastraram rapidamente devido aos fortes ventos no sábado (17); incêndio já consumiu cerca de 48% do parque |  Foto: Erick Caldas Xavier/ ICMbio/ Divulgação
 

De acordo com o boletim, no começo da manhã de sábado todas as equipes foram mobilizadas com o objetivo de diminuir os focos de incêndio após o fogo ter ultrapassado o aceiro da lagoa Saraiva, na altura de Guaíra. Na ocasião, uma aeronave foi destacada pelo Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas. Algumas horas depois, um novo foco de incêndio surgiu na praia do Pacaraí, em São Jorge do Patrocínio. "Uma equipe de 20 brigadistas e bombeiros foi acionada para a nova frente de combate, mas em menos de uma hora o novo foco já havia se alastrado sentido lagoa Xambrê", informou trecho do boletim.

Os focos se alastraram rapidamente, segundo as equipes, devido às rajadas de vento que alcançaram seu maior pico na tarde de sábado. Foram aproximadamente 100 km/h. Segundo o instituto, além dos fortes ventos propagarem as chamas rapidamente, também prejudicam a segurança dos profissionais que trabalhavam nas aeronaves. Por isso, na noite de sábado todo o efetivo foi deslocado para São Jorge do Patrocínio "para conter o avanço das chamas por meio de melhoria dos aceiros já existentes e o uso de contra-fogo", esclareceu a equipe. 

Já na madrugada de domingo (18) o efetivo aumentou para 75 pessoas e foram acionados quatro tratores com grade e roçadeiras para a preparação dos aceiros já existentes para impedir a propagação do incêndio. O instituto informou que foram 3,79 km melhorados e ampliados neste sentido. Ainda de acordo com o boletim, a abertura do aceiro contou com o apoio de uma comunidade rural de Altônia, a Comunidade Bom Jesus da Paineira, que cedeu um trator e um operador para o trabalho. Um produtor rural de outra comunidade, Nossa Senhora do Rocio, também de Altônia, doou frutas para toda a equipe envolvida neste esforço. 

O 1° Tenente QOBM Wilian Rodrigo Marques, Oficial de Comunicações do 6° SGBI, explicou à FOLHA que foram abandonadas as missões de combate por solo neste domingo. "Todas as ações possíveis já foram realizadas na parte terrestre. Chegou ao ponto de as ações se tornaram ineficazes. Ficaram só as aeronaves para que na segunda-feira (19) possam ser feitas novas avaliações das áreas queimadas", afirmou. "As áreas que ainda estão queimando não apresentam riscos para casas. Por isso, estamos só monitorando o fogo e aguardando que chegue até os rios e lagos para que possa ser combatido", acrescentou. 

O tenente relatou que as duas aeronaves com cerca de 70 pessoas deram início ao lançamento de água. Foram 19 mil litros em 43 lançamentos de água. Até a noite de domingo, as aeronaves Falcão 01 e Falcão 03 já somavam 37h45min de voo na missão. Foram 38.700 litros de água ao todo. Após 31 horas de combate intenso às chamas, as equipes foram dispensadas para descanso. 

A estimativa da ICMbio até a noite de sexta-feira (16) é que o incêndio consumiu 36.902,46 hectares do total de 76.138,19 hectares do parque, o que representa 48,47% de sua área total. Em razão da intensidade do trabalho das equipes, os envolvidos na força-tarefa não haviam conseguido levantar as informações sobre a área queimada no final de semana até o fechamento da reportagem. 

A força-tarefa de combate aos incêndios do Parque Nacional de Ilha Grande além do ICMBio (órgão gestor da unidade) conta com o Corpo de Bombeiros do Paraná e do Mato Grosso do Sul, Polícia Militar Ambiental do Mato Grosso do Sul, Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas, Parque Nacional do Iguaçu e o Coripa (Consórcio Intermunicipal para Conservação do Remanescente do Rio Paraná e Áreas de Influência) que está coordenando o apoio logístico e articulando o apoio operacional das prefeituras de Altônia, São Jorge do Patrocínio, Icaraíma e Alto Paraíso.

O parque abrange as ilhas Grande, Peruzzi, do Pavão e Bandeirantes, no rio Paraná, e sua área é delimitada pelos municípios de Alto Paraíso, Altônia, Guaíra, Icaraíma e São Jorge do Patrocínio, no Paraná, e de Eldorado, Itaquiraí, Mundo Novo e Naviraí, no Mato Grosso do Sul. (Colaborou Larissa Ayumi Sato)