Paraná é responsável por 10% da energia hidrelétrica do País


Vitor Ogawa Reportagem Local
Vitor Ogawa Reportagem Local

O Brasil dispõe de uma matriz elétrica de origem predominantemente renovável, com destaque para a geração hidráulica, que responde por 68,1% da oferta interna, gerada por 1.321 empreendimentos. E nesse cenário o Paraná se destaca. De acordo com o BIG (Banco de Informações de Geração) da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), a capacidade instalada do Paraná de produção de energia elétrica é de 18.231.871,46 kW, o que equivale a 10,2% do que é produzido no Brasil. É a terceira maior do País, ficando atrás apenas de São Paulo (14%) e do Pará (10,58%).

LEIA MAIS
- Potencial energético do Tibagi gera debate
- Estado consome metade da energia que produz

O Estado do Paraná possui 157 empreendimentos em operação, gerando 18.231.871,46 kW de potência. Esse número inclui a produção de energia hidrelétrica e de outras matrizes, como solar, eólica e termelétrica. São 32 PCHs (Pequena Central Hidrelétrica), totalizando uma potência de 258.152 kW e 20 usinas hidrelétricas, cuja potência total é de 16.763.374 kW.

A Usina de Mauá, localizada entre Ortigueira e Telêmaco Borba, é administrada pelo consórcio Cruzeiro do Sul. O controle da usina é de 49% para Eletrosul Centrais Elétricas S/A e 51% para Copel Geração e Transmissão S.A. Tem capacidade total de produção de 363.000 kW, suficiente para atender ao consumo de 1 milhão de pessoas.

Está prevista para os próximos anos uma adição de 937,05MW na capacidade de geração do Estado. A de Tibagi Montante, por exemplo, localizada no município de Tibagi, está em construção e possui capacidade outorgada de 32.000 kW. As obras, no entanto, estão embargadas por falhas no licenciamento.

Outra usina outorgada é a de Santa Branca (Tibagi), com capacidade de 62.000 kw. Estão previstas ainda as construções de outras usinas no Tibagi: UHE Cebolão Médio (Tibagi), com previsão de gerar 120.000 kW, e UHE Limoeiro (Tibagi, com capacidade 142.000 kW. Ambas estão com o status de eixo disponível pela Aneel, sendo assim considerados empreendimentos disponíveis para qualquer interessado realizar o seu estudo ou registro ativo. Já a UHE Telêmaco Borba (Tibagi), com capacidade de 109.000 kW, já teve seu aceite concedido pela Aneel e a obra será conduzida pela Promon Engenharia Ltda.(V.O.)

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo