Vânia Casado
De Curitiba
A queima de um transformador da Sanepar, responsável pela captação e distribuição de água no litoral, deixou 300 mil pessoas sem água no primeiro dia do ano. Foram mais prejudicados os balneários da praia de Leste até Pontal do Sul. O acidente ocorreu às 20h30 do dia 31 e a previsão era que a normalização no abastecimento de água seria restabelecido até à meia-noite de ontem.
Para a Sanepar, a queima do transformador é uma ocorrência totalmente atípica, inesperada e não deve ser atribuída ao ‘‘ bug’’ do milênio. A empresa acredita que o transformador possa ter ‘‘ pifado’’, em função das oscilações de energia elétrica, principalmente no horário de pico de consumo, quando aconteceu o problema.
O acidente provocou a paralisação da captação de água que a Sanepar faz no rio das Pombas, próximo ao rio Caraguaçu, em Praia de Leste. Essa estação de captação e tratamento de água abastece a maior parte do Litoral, com exceção de Matinhos, Caiobá e Guaratuba. A Sanepar providenciou a substituição do equipamento. Um transformador com 500 KVAs que estava no município de Almirante Tamandaré foi deslocado para a Praia de Leste. As equipes esperavam concluir o trabalho até às 12h30 de ontem.
Apesar das providências técnicas, a Sanepar disse que o maior problema seria com o restabelecimento da água. Isso porque a estação de tratamento de Praia de Leste ficou totalmente parada, sem água. Com a volta à produção no período da tarde, o temor era que o excesso de pressão provocasse problemas como o estouro de canos e vazamento na rede.