Assine e navegue sem anúncios [+]

Outdoors criticam vacinação obrigatória de servidores e passaporte sanitário


Rafael Machado - Grupo Folha
Rafael Machado - Grupo Folha

A polêmica em torno do decreto do prefeito Marcelo Belinati (PP) que obriga a vacinação contra a Covid-19 de servidores municipais e a possibilidade de Londrina adotar o chamado "passaporte da vacina" aumentou depois da instalação de outdoors que criticam as medidas. As mensagens foram colocadas em locais movimentados da cidade e, entre outros pontos, classificam como "assédio moral" a atitude de Belinati, que também estaria "impondo" a imunização para os funcionários públicos. 

 

Outdoors criticam vacinação obrigatória de servidores e passaporte sanitário
Gustavo Carneiro
 


A FOLHA tentou contato com os organizadores da manifestação, mas não conseguiu localizar nenhum responsável. Procurado pela reportagem, o vereador Claudinei dos Santos, o Santão (PSC), que já declarou publicamente ser contra o documento sanitário, garantiu que não integra o movimento que implantou os outdoors. "Não escondo minhas opiniões e nem minhas ações. Eu não faço parte desse grupo, mas eles não cometeram nenhum crime. Nem sei quanto custa", assegura.


Santão não soube dizer quem bancou a colocação dos cartazes, mas que concorda com o conteúdo. "O passaporte sanitário retira direitos fundamentais e constitucionais do ser humano. Espero que o prefeito seja sensível e não coloque nenhum tipo de regra. Eu tomei a vacina, mas não posso obrigar a pessoa que pensa diferente de mim a fazer o mesmo", aborda. 


Por meio de uma indicação legislativa, o parlamentar sugeriu que o prefeito proíba estabelecimentos comerciais de cobrar a apresentação do passaporte, caso realmente ele seja implantado em Londrina. Pelo menos por enquanto, o comprovante sanitário apenas é alvo de estudo da Secretaria Municipal de Saúde. 

 

Outdoors criticam vacinação obrigatória de servidores e passaporte sanitário
 


Já a vacinação obrigatória de servidores municipais entrou em vigor no final de setembro. Um levantamento preliminar da Secretaria de Recursos Humanos mostrou que 750 funcionários não tinham se cadastrado para se imunizar contra a Covid-19. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Londrina foi acionada para comentar o tema, mas não retornou o contato.


Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo