Otan reforça vigilância em fronteira de Kosovo6/Mar, 13:17 Por Danica Kirka PRISTINA, Iugoslávia, 06 (AE-AP) - Soldados de paz da Otan reforçaram hoje (06) o controle nas fronteiras de Kosovo, esperando conter o fluxo de armas e de guerrilheiros que estariam alimentando a tensão na volátil região logo depois da fronteira da província, no sul da Sérvia. A ação foi uma resposta ao aumento de hostilidades nas proximidades da cidade de Dobrosin, uma vila predominantemente albanesa étnica do sul da Sérvia. Esta área tem sido palco de esporádicos confrontos entre guerilhas albanesas étnicas e a polícia sérvia, e existem temores da explosão de novos combates similares aos do conflito em Kosovo no ano passado, que levaram a Otan a bombardear a Iugoslávia. Em Riga, o Ministério do Exterior da Letônia disse que o comandante da Otan para a Europa, Wesley Clark, adiou uma visita de despedida planejada para a quarta-feira por causa da tensão em Kosovo. Clark deve se retirar em maio. O ministro da Defesa grego, Akis Tsochadzopoulos, afirmou que a guerrilha albanesa étnica na região fronteiriça de Kosovo está prejudicando esforços internacionais para implementar a paz e poderia levar a região a um novo conflito. E o representante da Iugoslávia nas Nações Unidas em Genebra renovou críticas ao administrador de Kosovo Bernard Kouchner, acusando sua administração de servir aos interesses dos EUA na província. Kouchner, sua administração da ONU e as forças de paz lideradas pela Otan "são diretamente responsáveis" pela deterioração da situação em Kosovo, marcada pela violência contra sérvios e contra outros grupos minoritários, afirmou o embaixador Branko Brankovic. A região de Dobrosin faz fronteira com a parte de Kosovo controlada pelas forças americanas. Centenas de refugiados já fugiram da região nos últimos meses, lotando a cidade mais próxima de Kosovo, Gnjilane, cerca de 50 km a sudeste da capital provincial kosovar de Pristina. Um porta-voz da Otan, tenente-comandante Philip Anido, disse que o reforço incluiria patrulhas motorizadas e a pé, e insistiu que a aliança está ciente de todos os movimentos na fronteira. "Estamos apertando apropriadamente a vigilância na fronteira", afirmou ele. "Haverá novas medidas", garantiu. As ações refletem a crescente preocupação da Otan com um recém- formado grupo rebelde composto por combatentes que dizem estar tentando proteger moradores da região de ataques das forças sérvias. Conhecido como Exército de Libertação de Presevo, Medvedja e Bujanovac, ele extraiu seu nome de três cidades de maioria albanesa étnica perto dos limites de Kosovo no sul da Sérvia, onde moradores denunciam estarem sofrendo repressão. "Não vamos permitir que Kosovo se torne uma espécie de assumido porto seguro para grupos extremistas armados, de onde eles acham que podem organizar ataques com impunidade no sul da Sérvia", disse um porta-voz da Otan, Mark Cox.