Brasília, 29 (AE) - O ministro da Previdência Social, Waldeck Ornélas, disse há pouco, depois de se reunir com a comissão do PFL que discute o salário mínimo, que seria "inconveniente" modificar a meta de superávit primário, ponto do acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), para este ano, com o objetivo de possibilitar recursos para o aumento do mínimo. Segundo o ministro, a intenção da meta fiscal é equilibrar a relação da dívida líquida com o Produto Interno Bruto (PIB) e a contenção do crescimento do débito é essencial para que, no futuro, seja possível sustentar melhores reajustes para o mínimo. Ornélas afirmou que esta sugestão, de reduzir a meta de superávit primário de R$ 29,8 bilhões para R$ 25,3 bilhões, foi apresentada pela comissão durante a reunião de hoje e também tem sido objeto de discussão no âmbito do governo.